Viticultura

Verdelho – Branca

O cacho é grande, compacto e composto por bagos pequenos ou médios de cor amarelada. É utilizada na produção de vinhos de lote e também de vinho espumante. A componente frutada e acídula é mais pronunciada do que a maioria dos restantes vinhos brancos. Casta que compensa a falta de acidez natural da maioria das castas brancas em cultivo no Alentejo.

Roupeiro – Branca

É a principal casta de uva branca em todas as zonas vitícolas do Alentejo. Apresenta cachos de tamanho pequeno com forma piramidal-alada; os bagos são pequenos, de tamanho uniforme, obovóides, com cor amarelada e pontuados. A polpa é suculenta pelo que é relativamente grande o rendimento em mosto. Os vinhos, quando jovens, apresentam um aroma fino, equilibrado e de tonalidade citrina, sendo delicados, frescos e elegantes.

Arinto – Branca

A Arinto é cultivada em quase todas as regiões vinícolas. Contudo, é na região de Bucelas que esta casta ganha notoriedade. O cacho é grande, compacto e composto por bagos pequenos ou médios de cor amarelada. É utilizada na produção de vinhos de lote e também de vinho espumante. A componente frutada e acídula é mais pronunciada do que a maioria dos restantes vinhos brancos. Casta que compensa a falta de acidez natural da maioria das castas brancas em cultivo no Alentejo.

Antão Vaz – Branca

Oriunda da Vidigueira, a casta Antão Vaz é umas das castas mais importantes da zona do Alentejo. Tem a particularidade de apresentar alguma resistência à seca.

Apresenta cachos de tamanho médio com bagos pequenos e uniformes que são de cor verde-amarelada e que no fim da maturação passam a amarelo. Os vinhos produzidos a partir desta casta são bastante aromáticos e têm, geralmente, cor citrina. O sabor é ligeiramente acídulo, com corpo e harmonia no final de boca.

Touriga Nacional – Tinta

Inicialmente cultivada na região do Dão, rapidamente expandiu-se à zona do Douro para ser utilizada na produção de vinho do Porto. Recentemente, os produtores descobriram o valor da Touriga Nacional na produção de vinhos de mesa tintos. Possui cachos abundantes, mas pequenos. Os bagos têm uma elevada concentração de açúcar, cor e aromas. Os vinhos produzidos ou misturados com a casta Touriga Nacional são bastante equilibrados, alcoólicos e com boa capacidade de envelhecimento.

Syrah – Tinta

É uma casta francesa, também denominada de Shiraz no Novo Mundo. É proveniente de França, resultando do cruzamento entre as castas Dureza e Mondeuse Blanche.

Com elevado potencial de envelhecimento, dá origem a vinhos com muita estrutura e ricos em taninos. Os descritores variam em função do terroir e do estágio, e são: frutos pretos, amoras, cassis, violetas, chocolate, pimenta preta, café, couro ou trufas.

Trincadeira (Tinta Amarela) – Tinta

A Trincadeira é uma casta especialmente cultivada nas regiões do Alentejo e do Douro. É uma casta que apresenta cachos médios a grandes, cónicos e alados com bagos médios e arredondados de cor negra-azulada e com pruína forte. Desenvolve-se melhor em climas secos e quentes. Os vinhos produzidos são ricos em cor e aromas, ligeiramente alcoólicos e com boas condições para envelhecer.

Castelão

A Castelão é uma das castas mais cultivadas no sul do país e particularmente na zona da Península de Setúbal. A Castelão desenvolve-se melhor em climas quentes e solos arenosos e secos, pois quando é plantada em solos húmidos e férteis produz vinhos de fraca qualidade. Os vinhos produzidos pela Castelão são concentrados, aromáticos e com boas condições para envelhecer.

Alicante Bouschet – Tinta

É uma das poucas castas denominadas tintureiras: além da película ser corada, também a polpa tem cor. Os cachos desta casta têm tamanho médio e são pouco compactos. Dá origem a vinhos com taninos muito estruturados, cor intensa e aromas mentolados e balsâmicos.

Aragonez (Tinta Roriz) – Tinta

As condições ideais para a casta Aragonez são solos arenosos e argilo-calcários em climas quentes e secos para que a produção seja menor e os bagos mais concentrados.

Os cachos são de tamanho médio, forma cilindrico-cónica, com bagos pequenos, ligeiramente achatados, de cor negra-azulada e intensidade média de pruína. O vinho é elevado teor alcoólico, de baixa acidez e indicados para envelhecer, sendo muito resistentes à oxidação. Desta casta sobressaem as ameixas, o tabaco e a baunilha.