Harmonização do nosso Adega Mayor Verdelho por Célio Cruz

29 Novembro 2018

Polenta Cremosa com Espinafres e Cogumelos Salteados

São planícies a perder de vista que começam junto ao Tejo. E se o verde dos sobreiros e das oliveiras é a cor predominante mais a norte, quando nos dirigimos para sul as cores assumem outras tonalidades. O dourado das searas combina com longos dias de sol. Assim é o nosso Alentejo! Uma das regiões mais lindas de Portugal, terra de paixões, de boa gente que ama e respeita a Natureza e o que a terra dá. É também região de forte tradição na cultura da vinha e do olival, onde são produzidos alguns dos melhores vinhos e azeites do nosso país.

Recentemente andei a passear pelo Alentejo, mais precisamente na região de Elvas e Campo Maior. É ali, por entre longos hectares de vinhedo a fazer fronteira com a vizinha Espanha, que está localizada a Adega Mayor. Construída por Siza Vieira e de uma arquitectura única em Portugal, ergue-se como um manto branco por entre as longas fileiras de vinhas, agora ainda mais bonitas, pintadas em tons de verde e dourado. Tive o prazer de visitar a adega e assim ficar a conhecer toda a história que a envolve assim como a arte movida pelas pessoas que ali trabalham. Fiquei a saber como se faz o vinho, desde que as uvas são colhidas ainda de forma artesanal, durante as vindimas, passando pelo período de transformação e estágio do vinho até ao momento em que as garrafas do néctar dos deuses chegam às nossas mesas. Na adega somos muito bem recebidos e deixamos levar-nos pelos sentidos que se abrem à imaginação, às palavras e ao momento de saborear um bom vinho.

O vinho faz parte da nossa cultura desde sempre e é hoje, orgulhosamente, uma das imagens de marca do nosso país. Muitos dos nossos melhores momentos são construídos à volta de uma garrafa de vinho.  Sempre que abrimos uma garrafa de vinho abrimos um mundo de possibilidades. Abrimos conversas e abrimos desabafos. Abrimos a alma e o coração. Partilhamos e criamos memórias felizes entre amigos, contam-se histórias, abrem-se os sentidos às palavras e às emoções e sempre com um belo petisco por perto. E foi a pensar nestes momentos de descontracção que trouxe comigo da adega uma garrafa de vinho Sercial Branco, uma das monocastas da Adega Mayor. Este é o vinho ideal para acompanhar o prato de Polenta Cremosa que vos trago hoje. Este é um prato que conforta a alma, que combina com dias frios e cinzentos e que é perfeito para acompanhar com a frescura deste vinho de personalidade intensa mas muito versátil e que certamente nos abrirá os sentidos.

 

Ingredientes: 

  • 1 chávena de sêmola de milho
  • 3 chávenas de água
  • 2 c. (sopa) de azeite
  • 4 chalotas
  • 1 dente de alho picado
  • 400 g de mistura de cogumelos Marron e Shimeji
  • Sal e Pimenta
  • 1 c. (chá) de tomilho
  • 2. c. (sopa) de vinagre balsâmico
  • 50 g de manteiga
  • 1/2 chávena de queijo Parmesão ralado
  • 100 g de espinafres
  • Rebentos Verdes Q.B.

Preparação: 

1 . Leve um tacho ao lume com a água temperada com sal e deixe que ferva. Assim que levantar fervura adicione de uma vez só a sêmola de milho e mexa energicamente com uma vara de arames. Baixe o lume para o mínimo e deixe cozinhar por cerca de 15 minutos.
2 . Entretanto leve uma frigideira ao lume com o azeite e as chalotas cortadas em quartos. Junte o dente de alho picado e salteie durante alguns minutos até as chalotas dourarem. Adicione os cogumelos laminados, tempere com sal e pimenta, junte o tomilho e salteie até que os cogumelos fiquem dourados e todo o liquido tenha evaporado. Junte o vinagre balsâmico, envolva e cozinhe mais dois minutos.
3 . Quando a polenta estiver cozinhada junte a manteiga e o queijo Parmesão e envolva para que fique cremosa. Desligue o lume, adicione os espinafres e envolva até que murchem.
4. Sirva a polenta com os cogumelos salteados, folhas de espinafre e rebentos verdes. 

Sirva de imediato.

 

Bom apetite

 

Célio Cruz 

Notícias Relacionadas



Tem a certeza que deseja apagar?